Feeds:
Posts
Comentários

Archive for maio \25\UTC 2007

Caos

Inaugurada a nova temporada de caos na vidinha do Derbi. acho que ela é sempre proporcional ao tamanho da minha barba, vou tirar essa porra.

Novamente sem muitas perspectivas, vendo os zilhões de coisas em que eu me meto passarem por mim sem que eu possa fazer absolutamente nada!!! To aqui perdido no meio do caos. Não que de certa forma eu já não estivesse sempre, mas é que de repente faltam forças, de repente sobra sono e falta apetite e de repente tá lá o derbi deixando de fazer os três compromissos que marca para o mesmo horário no mesmo dia em pontos distintos da cidade, tá lá ele, deixando de fazer trabalhos de estudar pras provas, rodando por excesso de faltas, tá lá o derbi deixando de tomar banho, enterrado em uma camada de poeira de 4 meses, roupas sujas e papéis espalhados por toda a casa entre os quais há um grande número de contas vencidas que não foram pagas, tá lá ele com uma louça cheia de fungos na pia, tá lá ele de estomago vazio e sem dinheiro pra comprar comida, tá lá ele sem meias, cuecas e toalhas limpas, tá lá ele com 3 cigarros e fumando um atrás do outro e nervoso por que eles vão acabar.

Daqui a pouco acabarão os cigarros, acabarão os restos de coca cola sem gás e os sachês de açúcar, acabará a luz.

E talvez não reste nem um toco de vela amarelada para que a coisa seja poética.

Read Full Post »

Billie again…

Essa música entrou no eu blog há um tempão atrás, agora boto ela outra vez, não só porque eu não tenho outra coisa pra colocar, mas pq essa música é muito representativa, porque eu adoro ela na voz de miss Billie Holiday, e, enfim, por que eu quero.

You go to my head

You linger like a haunting refrain
And I find you spinning round
In my brain
Like the bubbles in a glass of champagne

You go to my head
Like a sip of sparkling burgundy brew
And I find the very mention of you
Like the kicker in a julep or two

The thrill of the thought
That you might give a thought
To my plea, casts a spell over me
Still I say to myself
Get ahold of yourself
Can’t you see that it never can be

You go to my head with a smile
That makes my temperature rise
Like a summer with a thousand Julys
You intoxicate my soul with your eyes

Though I’m certain that this heart of mine
Hasn’t a ghost of a chance
In this crazy romance
You go to my head, you go to my head

Though I’m certain that this heart of mine
Hasn’t a ghost of a chance
In this crazy romance
You go to my head, you go to my head

Que refrão cruel!!! Muito, muito cruel!!!!

Read Full Post »

 The Puppini Sisters!! Eu to simplesmente pasmo, é muito bom!!

(“bung, bung, bung, bung” 26 bungs in all)
Mr. Sandman, bring me a dream (bung, bung, bung, bung)
Make him the cutest that I’ve ever seen (bung, bung, bung, bung)
Give him two lips like roses and clover (bung, bung, bung, bung)
Then tell him that his lonesome nights are over.
Sandman, I’m so alone
Don’t have nobody to call my own
Please turn on your magic beam
Mr. Sandman, bring me a dream

(“bung, bung, bung, bung”)
Mr. Sandman (male voice: “Yesss?”) bring us a dream
Give him a pair of eyes with a “come-hither” gleam
Give him a lonely heart like Pagliacci
And lots of wavy hair like Liberace
Mr Sandman, someone to hold (Liberace?)
Would be so peachy before we’re too old
So please turn on your magic beam
Mr Sandman, bring us, please, please, please
Mr Sandman, bring us a dream.

Read Full Post »

As árvores

Temo que as plantas que vivem lá fora tenham aniquilado minha irmã. há dois dias ela não aparece em casa e a última vez que à vi foi naquela noite da orgia.

As árvores, ao sabor dos ventos arrancaram-lhe o vestido e penetraram-lhe a intimidade com violência. Ela parecia alucinada. Parecia sentir muita dor. Entretanto quando os galhos afrouxaram e a soltaram, não fugiu, limitou-se a cair de quatro no chão e empinar a bunda, que logo foi açoitada pelos galhos de um choupo velho.

Seus gritos poderiam ser tidos como de desespero, não fosse o fato de que não havia obstáculos para que fugisse. Pensei então ser a fúria dos vegetais que a amedrontava e por isso não tinha como fugir dali.

Então os galhos lhe afagavam e percorriam seu corpo, penetravam seu sexo, sopravam brisas em seus ouvidos e ela respondia como se os gemidos do vento fossem  inteligíveis, uma língua antiga, lânguida e gelada, uma forma sobrenatural de linguagem à qual agora tinha acesso.

Que coisas lhe foram sopradas nunca saberei. Deixei a janela naquela noite, apavorado quando suas pernas começaram a criar raízes.

Como disse, nunca mais vi minha irmã. Há agora, junto aos choupos uma árvore nova, de folhas vermelhas, que dá flores amarelas na primavera. Quando o vento bate em suas folhas o sussurro é ligeiramente feminino.

Mark R. Klober

Read Full Post »

Contato

Contato, é tudo que as pessoas precisam. Eu precisava tanto quanto ela e não tinha percebido. Não que um simples abraço, por mais eterno e quentinho que seja vá acabar com a sede de contato das pessoas, mas naqueles minutos a sensação de estarmos perdidos fica suspensa.

Esse é o velho ciclo da vida, e as pessoas precisam disso mais do que água, por que estamos perdidos o tempo todo e água é tão fácil conseguir.

Read Full Post »