Feeds:
Posts
Comentários

Archive for março \08\UTC 2008

O meu pequeno caos particular está me engolindo…

Read Full Post »

Quero dar pitaco! quero dar pitaco!!!

Essa discussão começou aqui. Eu ia só fazer um comentário no post dela, mas decidi fazer via post aqui quando percebi que o método “Chico Xavier” de redação estava mode on.

*****

Crianças antes dos 6, 7 anos não são assexuadas coisíssima nenhuma! elas só concentram sua sexualidade em outras áreas, não tão relacionadas aos orgãos e práticas sexuais convencionais. São as fases oral e anal da literatura de psicologia e pedagogia. E mesmo sendo uma sexualidade pouco convencional ela é extremamente forte, ao ponto de disturbios nessas fases virarem fixações na vida adulta. Esse é o argumento mais aceito sobre sexualidade infantil, não é necessário dizer que pode não ser o melhor, mas tem funcionado na prática clínica da psicologia e tem sido comprovado no desenvolvimento psicomotor das crianças.

Quanto à orientação sexual, eu costumo dizer que é uma preferência (antes de juntar as pedras: preferência é diferente de opção), inerente a cada indivíduo, não faço a mínima idéia de por quais fatores é conduzida, mas é uma determinação maior do que a simples vontade e é diferente para cada pessoa.

Agora o ponto. A grande maioria de nossas sociedades é homofóbica. Aos poucos isso vem mudando, mas a posição mais comum ainda é a de repúdio e demonização de quem é homossexual. Está ainda na cultura popular e no inconsciente coletivo considerar a homosexualidade um problema. Casais gay ainda são expulsos de restaurantes, espancados, exorcisados e mais uma pá de coisas escrotas e bizarras. Se nos grandes centros urbanos homossexuais conseguiram o status de ter sua sexualidade finalmente considerada normal (ao menos aparentemente) foi por muitas lutas, discussões e exposição de suas preferências.

Não se mudam convenções sociais e o inconsciente coletivo da noite para o dia ou sorrateiramente. O tratamento de choque e a exposição ao que se nega ou se distorce são as únicas ferramentas para isso. E não esperem que a mídia de massa, da qual a Isto é representa a ala mais indecisa, incoerente e bunda mole que existe, exiba alguma vontade de contrariar o senso comum.

Até o nome dessa revista é ambíguo! Determinista, se a expressão for aceita no sentido imperativo e apaziguador e em cima do muro, se sob a função explicativa da coisa: “quer dizer, isto é”.

Por isso faz todo o sentido reagir a essas construções textuais aparentemente “ingênuas”. Essa mídia, infelizmente a mais acessada, só vai considerar uma opinião quando ela se manifestar o suficiente para causar incômodo, “isto é”,  prejudicar vendas.

E faz ainda mais sentido reagir a essas manifestações do senso comum quando elas acontecem. Expor o ridículo e a discriminação de considerar “um horror” sugerir a homossexualidade de alguém tem o mesmo efeito que chamar a atenção para alguém que não recolhe a merda do seu cachorro da calçada. Reclame umas 3 vezes e o sujeito começa a sair de casa com um saquinho, mais um pouco e ele vai se orgulhar de sua retidão moral e valores cívicos e criticar outros “relaxados”.

A princípio não muda a mentalidade das pessoas, mas não tendo mais a sua posição como unanimidade, fica-se naturalmente mais disposto a revisá-la, nem que seja para contra argumentar decentemente. E também mostra para aqueles que não pensam por conta própria, que a questão não tem um único ponto de vista.

Por isso Vaquinha querida, siga questionando, e não aceite quando te mandam ficar quieta, teus motivos estão bem acima da política de aparências familiar.

Read Full Post »